Você Consegue Gerenciar sem Indicadores de Performance?

Mensurar resultados coletando métricas e informações essenciais é fundamental para identificar falhas e ao mesmo tempo vislumbrar oportunidades de melhora. Com os inúmeros recursos que a tecnologia oferece, você, conseguiria gerenciar seu negócio sem esses indicadores de performance? Vejamos.

Mas o que são indicadores de performance?

Quantificar a performance com base nos objetivos organizacionais é o principal objetivo dos indicadores de performance. Ele é composto por métricas relevantes que são utilizadas para constituir numa ferramenta de gestão essencial para medir diversos resultados dentro de uma organização.

Os indicadores são ferramentas que utilizam índices, metas e faixas de tolerância para medir o desempenho de uma empresa e embasar as tomadas de decisões para corrigir problemas de gestão, aperfeiçoar processos, gerar maior qualidade em seus produtos e serviços e, tem como grande objetivo aumentar seus lucros e a produtividade. Tudo porque uma boa gestão também se faz com a coleta de dados e informações importantes para permitir que sejam feitas comparações e melhorias constantes nos processos gerenciais.

Mas como os indicadores de performance podem ser eficazes na gestão?

É através dos indicadores de performance que é possível saber se as metas foram alcançadas, se os recursos despendidos pela empresa foram eficazes, e quais falhas ocorreram dentro do processo, para evitar erros no futuro. Em termos gerais, os indicadores de desempenho estratégicos são utilizados para verificar o andamento da empresa com relação aos seus objetivos, sejam eles estratégicos ou não, mas aqueles essenciais para definir os próximos passos do trabalho.

Trazendo para a realidade da Tecnologia da Informação (TI), podemos citar um exemplo simples do uso desses indicadores no ramo de TI. O setor de suporte, sempre muito solicitado dentro das empresas, e que por vezes gera controvérsias, seja para o bem ou para o mal, está sempre em xeque quando o assunto é agilidade e resolução dos problemas.

Dessa forma, uma maneira simples de fazer essa métrica é a partir da seguinte equação: Suponha que três em cada dez chamados de um setor de helpdesk são reabertos. Isso significa que a taxa de resolução no primeiro contato, indicador mais conhecido neste setor por First Call Resolution (FCR), é de 70%. Assim, à medida que aumentar a produtividade do setor, esse indicador de desempenho crescerá, comprovando a excelência do serviço prestado.

E como colocar os indicadores de performance em prática?

Para colocar os indicadores de performance em prática nas organizações, é fundamental um planejamento, que não é simples, mas com o ERP, isso já é uma realidade para muitas empresas. O ERP é a sigla da expressão Enterprise Resource Planning, que na tradução literal, é o Planejamento dos Recursos da Empresa, conhecido no mercado organizacional como Sistema Integrado de Gestão.  O ERP é um software de gestão que centraliza todas as informações de uma empresa, de onde é possível emitir relatórios sobre as áreas integradas e assim diagnosticar setores e processos que estão tendo problemas, queda de rendimento e falhas administrativas.

O ERP é dividido em módulos, que podem ser táticos, operacionais ou estratégicos, esses módulos são dedicados aos trabalhos rotineiros, oferecendo apoio à gestão de cada departamento, como compras, contas a pagar, contabilidade, financeiro, logística e vendas. Já os módulos táticos e estratégicos auxiliam na gestão estratégica da empresa, na tomada de decisões com base em indicadores de desempenho.

Entre alguns dos benefícios de um software especifico para gestão, está o embasamento para tomada de decisão que reduza a possibilidade de erros. O ERP produz gráficos e relatórios sobre as informações essenciais de uma companhia. Esse monitoramento auxilia o gestor na hora de decidir os rumos a seguir, identificando áreas que precisam de investimento, onde as despesas estão mais altas e a partir desses dados apontarem possíveis falhas e problemas nos processos. 

Mas é no controle de custos que está a saúde financeira de uma empresa, seja ela de grande ou pequeno porte. Reduzir custos e tornar a empresa saudável financeiramente, a fim de garantir uma longevidade, esse é o grande objetivo de qualquer gestor. Dessa forma, que o ERP fornece dados e integra informações essenciais, gerando transparência e segurança, onde a redução de custos é um processo natural e que não tem impacto na produtividade.

Nunca se esqueça que “O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado! ”.

__

Gostaria de contar com um ERP para agregar inteligência na sua tomada de decisão? Entre em contato conosco, oferecemos as melhores soluções do mercado.



Deixe uma resposta